Porto lidera o debate sobre as alterações climáticas com a organização da Climate Change Leadership

A cidade do Porto foi o palco escolhido para dar início a um movimento global focado na apresentação de soluções para questões relacionadas com alterações climáticas. O primeiro ato acontece já no próximo dia 6 de julho, com a organização da primeira Climate Change Leadership. A conferência, que terá lugar no Coliseu Porto Ageas, tem como parceira a Câmara do Porto e conta com um painel de luxo, que inclui dois nobel da Paz – Barack Obama e Mohan Munasinghe – e Irina Bokova, ex-diretora geral da UNESCO, entre outros oradores de reconhecido mérito internacional. 

Esta manhã, na conferência de imprensa que reuniu à mesma mesa organização e parceiros da “Climate Change Leadership Porto Summit 2018”, o vereador Ricardo Valente, responsável pelo pelouro da Economia, Turismo e Comércio, sublinhou que este “é um momento de afirmação da cidade”, considerando os impactos diretos que a realização da iniciativa terá na imagem externa do Porto, com a vinda de “personalidades de primeira linha em termos mundiais”.

Envolvida na organização do Porto Summit 2018 desde a primeira hora, em conversações que se iniciaram há mais de oito meses, a Câmara do Porto, pela voz do vereador, enalteceu a “capacidade de, em conjunto, se ter conseguido de forma bastante profissional e na mais completa discrição trazer um evento desta grandeza para a cidade”. Uma cidade que, para Ricardo Valente, se distingue pela sua “natureza cosmopolita”, de bem receber e de trabalhar com o mundo.

Reiterando a disponibilidade do Município para “apoiar eventos que reafirmem o papel crescente do Porto como centro de pensamento, criatividade e liderança nos domínios da economia sustentável”, o vereador disse estar convicto de que este movimento, preconizado por entidades públicas e privadas (Taylor’s Port, Câmara do Porto, Instituto da Vinha e do Vinho, Associação Comercial do Porto, The American College in Spain e também pela Advanced Leadership Foundation, que agiliza a presença do ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama), vai posicionar a cidade como fórum de discussão privilegiado a nível global sobre as alterações climáticas.

De facto, como notou Adrian Bridge, da Taylor’s Port, esta conferência é a primeira de muitas que terão lugar no Porto, numa agenda de iniciativas com horizonte, por enquanto, até 2021. Se, no dia 6 de julho, a reflexão sobre alterações climatéricas vai seguir uma tónica mais geral sobre a problemática, no próximo evento, que já se prepara para março de 2019, vão-se reunir, especificamente, “pessoas do setor do vinho a nível mundial”. Isto porque é também objetivo da plataforma discutir o impacto das alterações climáticas nesta indústria em específico, considerando que a região Norte é uma das maiores produtoras de vinho do mundo, com forte peso na economia nacional.
E – como acrescentou Ricardo Valente – o Porto é um dos dez membros da seletiva rede Great Wine Capitals, e de outubro a janeiro de 2018 foi a cidade escolhida para protagonizar a exposição anual da Cité du Vin, em Bordéus (França).  

 

Fonte: Porto