APED questiona eficácia ambiental da fiscalidade verde

A APED (Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição) receia que a introdução do pagamento dos sacos de plástico, no valor de 10 cêntimos, “tenha essencialmente a natureza de um imposto e se desvie do seu principal objetivo: sensibilizar os consumidores, consistindo apenas numa forma de arrecadar receita”, refere a diretora-geral da APED, Ana Isabel Trigo Morais. O setor da distribuição, a através da APED, foi pioneiro na adoção de campanhas de sensibilização para a redução do consumo de sacos de plástico, com a iniciativa Saco Verde, lançada em 1998 e que regista um grande historial de sucesso e adesão por parte dos consumidores: cerca de 11 milhões de sacos reutilizáveis vendidos desde o lançamento. A APED reforça que “muitos associados introduziram o pagamento dos sacos de plástico, disponibilizando soluções para o transporte das compras”.