Governo revê regras da mobilidade elétrica

O ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, Jorge Moreira da Silva, apresentou os traços gerais do novo enquadramento da mobilidade elétrica aprovado em Conselho de Ministros. O modelo passa por liberalizar a rede pública de carregamento de carros elétricos, que é gerida atualmente pela Mobi.e (consórcio que inclui, entre outras entidades, a Efacec, a Inteli, a CEIIA – CE e a Novabase), abrindo-a à concorrência e permitindo “tornar o carregamento mais próximo dos cidadãos”. Segundo Moreira da Silva, o novo modelo permitirá a “instalação de pontos de carregamento numa lógica de concorrência”, por mais empresas, e em mais locais, removendo “os constrangimentos ao carregamento” que até à data têm tornado a rede pública “ineficiente”. A rede atual é composta por mais de 1000 postos de carregamento na via pública, em mais de 20 concelhos. O governo quer apostar numa rede que aposte no carregamento “em casa, no local de trabalho, ou em centros comerciais”.